Concurso de desenhos

E se seu lápis fosse uma ferramenta contra o trabalho forçado?

 

Participe do concurso!

Cartunistas podem criar desenhos que sensibilizem, inspirem ações e enfatizem a necessidade urgente de erradicar esta grave violação dos direitos humanos.

Participe do concurso internacional de desenhos sobre trabalho forçado, organizado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Human Resources without Borders (RHSF), em colaboração com Cartooning for Peace.

 

Envie seus desenhos AQUI
Prazo prorrogado até o
dia 19 de abril de 2021, meia-noite CET.

 

 

O que é o trabalho forçado?

25 milhões de homens, mulheres e crianças estão hoje em situação de trabalho forçado – traficados, mantidos em servidão por dívidas ou trabalhando em condições de escravidão, vítimas de violência, coerção e engano, ameaçados para que não ousem buscar ajuda e reivindicar seus direitos.

Todos os países são atingidos. As vítimas muitas vezes trabalham ocultas da vista do público e são difíceis de identificar. Muitas vítimas, em particular mulheres e meninas, estão sujeitas à exploração sexual comercial. O trabalho forçado, no entanto, também prevalece em setores como agricultura, pesca, trabalho doméstico, construção, manufatura e mineração.

Estima-se que o trabalho forçado gere 150 bilhões de dólares em lucros ilícitos! Indústrias e empresas enfrentam concorrência desleal e os estados perdem bilhões em renda de impostos e contribuições à seguridade social.

 

©RHSF – Pluispraat

TEMPO DE ACTUAÇÃO

Como resultado da crise do Covid-19, tanto adultos como crianças estão mais em risco de ficarem presos em trabalhos forçados. Mais do que nunca, é necessária uma acção urgente.

Sabia que quase uma em cada cinco pessoas em trabalho forçado é uma criança? Como 2021 foi declarado pela Assembleia Geral das Nações Unidas como o Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil, é tempo de passar dos compromissos à acção!

 

©RHSF – Supachai Chirakup

Seu Impacto

Os desenhos são ferramentas poderosas: eles podem tornar as mensagens complexas compreensíveis sem usar palavras e seduzir as pessoas a refletir sobre temas sensíveis.

Seus desenhos podem ajudar as pessoas a:

  • RECUSAR o trabalho forçado, entendendo-o como uma grave violação dos direitos humanos que não tem lugar em nossas sociedades. O trabalho forçado pode e deve ser erradicado de nossas economias.
  • COMPREENDER o trabalho forçado em todas as suas formas e todos os diferentes meios de coerção utilizados para enganar e encurralar as pessoas. Os trabalhadores podem ser coagidos ao trabalho forçado de muitas maneiras diferentes: podem ser enganados sobre a natureza do trabalho; podem ser sequestrados; podem sofrer abuso psicológico, físico ou sexual; podem ser ameaçados; seus documentos de identificação podem ser confiscados ou seus salários retidos; suas dívidas podem ser manipuladas para que nunca possam pagá-las.
  • AGIR para acabar com este flagelo. Os governos devem tomar medidas eficazes para prevenir o trabalho forçado, proteger as vítimas e garantir seu acesso à justiça. Os empregadores públicos e privados devem tomar medidas de fiscalização para garantir que o trabalho forçado não seja utilizado em suas atividades comerciais. Os sindicatos devem chegar até os trabalhadores para que eles conheçam seus direitos e como reivindicá-los. As ONGs podem fornecer assistência às vítimas. Podemos abrir nossos olhos para ver o trabalho forçado ao nosso redor e exigir que os bens e serviços que consumimos sejam livres deste mal.

©RHSF – Trayko Popov

Um júri de prestígio

O júri é composto por representantes das seguintes instituições e organizações:

Bem como:

  • Anousheh Karvar, Presidente da Alliance 8.7
  • Molly Namirembe, ativista e ex-trabalhadora infantil

©RHSF – Vladimir Kazanevski 

Prêmios

O júri selecionará os desenhos vencedores do concurso. Très prêmios específicos serão concedidos o melhor desenho sobre:

  • Trabalho forçado
  • O trabalho forçado de crianças
  • Como agir

Todos os desenhos submetidos serão considerados para os três prémios.

Os vencedores serão entrevistados pela OIT e suas obras divulgadas pela OIT, “50 for Freedom” e RHSF.

Uma seleção dos melhores desenhos será utilizada para desenvolver materiais específicos de sensibilização sobre trabalho forçado.

  

©RHSF – Vladimir Kazanevski

Regulamento

  • Os desenhos devem evitar a utilização de texto. Algumas palavras simples podem ser inseridas, apenas se estiverem em inglês, francês ou espanhol.
  • Qualquer técnica de desenho é permitida.
  • Os desenhos devem ser enviados em formato de imagem numérica jpeg, tamanho A4, 300dpi.
  • Cada artista pode enviar um máximo de 4 desenhos.
  • A fim de respeitar a neutralidade dos organizadores, e porque o trabalho forçado é sistémico e todos os países e cadeias de abastecimento estão expostos a ele, os desenhos continuarão a ser gerais sem apontar nenhuma entidade específica.
  • Os artistas serão contatados pessoalmente se forem escolhidos no final do processo de seleção.
  • Os desenhos devem ser enviados aqui.
  • Os desenhos que desconsiderarem qualquer uma das regras especificadas serão descartados.

Ao participar do concurso, os artistas reconhecem que os organizadores do concurso (a ONG Human Resourcers without Borders e a Organização Internacional do Trabalho) podem reutilizar, compartilhar, adaptar e construir sobre os desenhos originais, creditando o cartunista como autor da obra, sob a Licença Internacional Creative Commons 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/4.0). Ao participar, as oganizações que apresentam um desenho em seu próprio nome confirmam que dispõem dos direitos de propriedade intelectual sobre o desenho e que a organização será creditada como o artista.

Prazo prorrogado para apresentação detrabalhos: 19 de abril de 2021, meia-noite, hora de Genebra

Para qualquer questão, contacte cartooncompetition@hrwithoutborders.org

©RHSF – Ba Bilig

 

 

Os desenhos exibidos nessa página são os vencedores da edição anterior do concurso de desenhos.


 

O financiamento é concedido pelo Departamento do Trabalho dos Estados Unidos sob o acordo de cooperação número IL-27592-15-75-K-1. 100% dos custos totais do Projeto Ponte é financiado com fundos federais, num total de US$17.395.138. Este material não reflete necessariamente as opiniões ou políticas do Departamento do Trabalho dos Estados Unidos, nem a menção de nomes comerciais, produtos comerciais ou organizações implica endosso do Governo dos Estados Unidos.

COMPARTILHE O QUE VOCÊ APRENDEU