O Embaixador da Boa Vontade da OIT, Wagner Moura, há anos vem defendendo o fim da escravidão moderna. No entanto, pela primeira vez ele se encontrou cara a cara com as vítimas desse crime, quando visitou o escritório da OIT em Brasília, no dia 4 de maio.

A reunião aconteceu antes do lançamento da campanha da OIT “50 for Freedom” no Senado Federal, no dia 9 de maio.

“Minha história de ativismo contra o trabalho forçado vem desde a minha infância”, explicou Moura. “Eu venho de uma cidade da Bahia onde testemunhei muitos casos de pessoas trabalhando na escravidão e passei muito da minha vida acreditando que isso era normal. Mais velho entendi que os trabalhadores têm direitos humanos que precisam ser respeitados, e isso se tornou uma questão muito importante para mim por conta da minha origem. É daí que vem o meu papel como ativista dos direitos humanos”.

“Apesar disso, eu nunca tinha encontrado cara a cara com trabalhadores que foram submetidos a trabalho forçado. Então, hoje foi um encontro forte. Seus testemunhos eram muito bonitos, muito fortes e, especialmente, muito dignos. Todos eles reforçaram a ideia de não-vitimização e, em particular, de seu orgulho em participar de uma campanha que poderia salvar outros trabalhadores de vivenciarem uma situação semelhante àquela que eles passaram”, concluiu Moura.

Um dos testemunhos que o ator ouviu foi o de Rafael Ferreira, cuja história está no site da campanha “50 for Freedom”. Nele, Rafael conta como foi forçado a trabalhar em uma fazenda em Mato Grosso para ajudar a pagar as dívidas de seu pai.

“As pessoas escravizadas se encontram em situações frágeis, portanto, são forçadas a trabalhar, trabalhar, trabalhar”, disse Ferreira, que hoje cursa a faculdade de engenharia civil.

A campanha “50 for Freedom” foi lançada em 2015 em colaboração com a Confederação Sindical Internacional e a Organização Internacional de Empregadores. O seu objetivo é sensibilizar cidadãos e políticos a respeito das 21 milhões de pessoas em todo o mundo que são vítimas do trabalho forçado, e incentivar pelo menos 50 governos a ratificarem o Protocolo sobre o Trabalho Forçado até ao final de 2018.

O lançamento da 50FF no Brasil será realizado no Congresso Nacional e reunirá representantes do governo, empregadores e trabalhadores, bem como ex-vítimas do trabalho forçado, que contarão suas histórias.

Wagner Moura é Embaixador da Boa Vontade da OIT sobre trabalho forçado desde 2015. Moura participou de vários eventos de lançamento da campanha “50 for Freedom” e contribuiu com histórias, blogs e testemunhos em vídeo, como esta história da vida real:

Após a reunião nos escritórios da OIT, Moura reafirmou seu compromisso com a campanha.

“Para mim hoje foi um dia muito especial. Estou muito orgulhoso por ter a minha imagem e o meu nome ligados à OIT e à campanha ´50 for Freedom’”.